Meu Corpo Gordo na Fotografia

ENSAIO MANIFESTO JUNHO 2021

ENVENENADA

Esse é um ensaio-manifesto para denunciar a morte gradativa e cruel do Brasil pelo avanço do agronegócio.

“Nós alimentamos o mundo”, eles dizem… mas o agronegócio não produz comida, produz commoddities voltados à exportação.

No país do agropop, enquanto os grandes produtores bateram o recorde de faturamento (12,11 bilhões só em junho), mais de 19 milhões de brasileiros passam fome. Seguimos na lógica colonial que mantém o Brasil dependente da Europa que é nosso principal consumidor de commodities agrícolas e minerais.

Só em 2020 foram aprovados 493 novos agrotóxicos. Somos o país que mais consome veneno! E segue aumentando…

A devastação causada pelos incêndios florestais literalmente comeu nosso cerrado e pantanal, e o que vemos sobrar da nossa amada Chapada dos Guimarães é uma ilha, em meio ao mar de monocultura.

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), a atividade agropecuária é responsável por 72% de toda água consumida no Brasil, pela irrigações. Para produzir 1 kg de carne de boi, são utilizados 15,4 mil litros de água. No meio agrícola, a soja é uma das campeãs, com 1,8 mil litro para cada quilo produzido.

O que vemos com nossos olhos são as nascentes, rios, cachoeiras secarem, a terra se tornar improdutiva, os animais os morrerem, e o mar de soja avançar mais e mais.

Estamos ENVENENADES!

Entorpecides.

Negar isso é dar oi pra morte, e convidá-la pra deitar na nossa cama.

O agro avança, estupra e mata o planeta e a população. O PIB cresce, e as florestas choram.

E nessa lógica capitalista colonial, vamos destruindo tudo.

A ideia surgiu de um rolê pra cachoeira Paraíso que eu, Malu e Larissa fizemos, e que ficou muito forte a sensação de que estamos numa ilha.

O que há de preservado aqui, é o que ainda resiste diante aos retrocessos que o governo vem tentando implantar.

O corpo gordo, nu, afrontoso e político como representatividade do que morre pelo sistema. E a imensidão de destruição. O lugar que ninguém pode estar.

Se vc curtiu, compartilha ai.

Queremos fazer uma exposição pra alertar sobre o #agroémorte.

fotografia @juqueirozfotografia

performer @malujimenez_

Ataques de ódio contra nosso trabalho

Moção de apoio à Prof.ª Dra. Maria Luisa Jimenez Jimenez

Em outubro desse ano, nossa companheira, a pesquisadora Maria Luisa Jimenez Jimenez, chamada carinhosamente por Malu, realizou um ensaio-manifesto ENVENENADA que denunciava a destruição da fauna e flora brasileiras por causa do avanço desenfreado do agronegócio no Mato Grosso – Brasil. Os incêndios florestais devastaram o cerrado e o pantanal, na Chapada dos Guimarães, local de moradia de Malu. A ideia do manifesto consistiu num ensaio fotográfico que expunha o corpo gordo nu da Malu, que acabou incomodando muito mais que a destruição imoral da natureza pelos latifundiários, com a conivência de setores políticos locais.  

Malu e a fotógrafa Ju Queiroz foram duramente criticadas e hostilizadas por pessoas ligadas ao agronegócio da região, que direcionaram seu ódio principalmente para o corpo gordo de Maria Luisa. Vários comentários gordofóbicos povoaram as redes de Malu, assim como perfis de pessoas, que apoiando o protesto dela, também repostaram o ensaio-manifesto ENVENENADA que Malu Jimenez e Ju Queiroz produziram.

Nós, incomodados com a repercussão negativa do protesto, e instigados a nos solidarizar com a companheira Malu Jimenez, nos propomos a lançar uma moção de apoio à causa de defesa do ambiente da Chapada dos Guimarães, assim como reafirmar que nossa luta contra a gordofobia não admite posições violentas, discriminatórias e desrespeitosas com relação aos corpos gordos, e na situação em questão, contra o corpo de Malu. Assim, repudiamos veementemente todos os ataques sofridos por Maria Luisa Jimenez e por Ju Queiroz, assim como reafirmamos a importância da luta contra os sistemas de opressão dos corpos gordos e a destruição dos recursos naturais pela sanha do agronegócio brasileiro.  

PESQUISA GORDA Grupo de Estudos Transdisciplinares das Corporalidades Gordas no Brasil

IMPORTANTE: Após o debate sobre Gordofobia na Escola, com leitura do texto “Gordofobia na Escola: Lute como uma Gordinha”, de Maria Luisa Jimenez Jimenez e Cláudia Reis, presentes no encontro, a Moção de Apoio foi lida. Esse texto fez parte do Ato Virtual em defesa de Malu e Ju Queiroz, com leitura pública em Reunião do Grupo de Pesquisa no dia 29 de Novembro de 2021.

Moção de Apoio do PESQUISA GORDA e manifestações em favor da pesquisadora, sendo decidido criar um abaixo assinado com objetivo de chegar em mais pessoas possíveis.  

Assinam/ Coordenação do Grupo:
Felipe Fachim, Leila Raposo, Leticia de Assis e Rosane Gomes.

Postado 14 dezembro 2021

PARA ASSINAR O ABAIXO ASSINADO CLIC AQUI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: