QUANDO ME PERCEBI

Quando me percebi… Divagando no tempo que insistia em correr, me percebi, por vezes, tentando olhar além do que meus olhos poderiam enxergar, projetei inúmeras vidas, entretanto, não eram as minhas. Quanto perdi deste tempo, não sei precisar, de certo, muitas dores e feridas se abriram Lágrimas e suor faziam parte de uma rotina forçadaContinuar lendo “QUANDO ME PERCEBI”

Escritas Afectivas

Minhas Dores e Amores Por Aline Esha Escrevo este texto inundada de emoções. Entrar nesta Monitoria foi uma resistência bem grande, por muito tempo meus textos foram corrigidos, recorrigidos e invalidados, em algum momento da minha vida eu desisti de escrever , resolvi me colocar atrás da frase eu não sou boa em fazer textoContinuar lendo “Escritas Afectivas”

HOMENAGEM A TODAS AS MÃES GORDAS DO BRASIL!

Ser mãe gorda… Por Marcela Brazão A maternidade é mais do que mostram os comerciais das lojas no dia das mães. A beleza, a delícia, o amor de ter e criar filhos (quando você assim o deseja) é maravilhoso e indescritível, no entanto não é um conto de fadas ou um mundo cor-de-rosa. Ser mãeContinuar lendo “HOMENAGEM A TODAS AS MÃES GORDAS DO BRASIL!”

Escritas Afectivas

Amor próprio, propriedade de quem? Enquanto eu chorava por me sentir sozinha, os outros diziam : você precisa aprender a se amar Enquanto eu sangrava pelos cortes provocados pela minha existência, os outros diziam : você precisa aprender a se amar. Enquanto eu não cabia em espaço nenhum, os outros diziam: você precisa aprender aContinuar lendo “Escritas Afectivas”

ASSESSORIA/MENTORIA ACADÊMICA lute como uma gorda!

Você precisa de Assessoria, Mentoria Acadêmica na àrea dos Estudos Transdisciplinares do Corpo Gordo, autoetnografia, epistemologias subalternas e feministas, estudos de cultura, autoetnografia e escritas afectivas de potência? Quer uma leitura crítica sobre um texto, ou seu projeto de TCC, a monografia final, o projeto de Mestrado, Doutorado ou Pós doutorado, preparar uma palestra, aula?Continuar lendo “ASSESSORIA/MENTORIA ACADÊMICA lute como uma gorda!”