Como pode? Mulher gorda pode!

Há anos, já perdi a conta de quantos, venho experimentando uma exclusão sob a mirada vigilante e julgadora de pessoas dentro do meu convívio social. Um olhar diferenciado que me diz coisas, de repulsa, engano, reprovação, aversão, nojo, medo e muitos outros diversos sentimentos expressados, apenas com o afrontar através dos olhos e algumas vezes com a negação da cabeça, mas principalmente com a mirada de censura.

Anos esses difíceis de entender o que esse olhar significava e porque se repetia em diversas ocasiões e com pessoas distintas, sabia que era familiar e que não era um olhar de aprovação e carinho, muito pelo contrário, tinha algo de errado em mim, comigo e por esse motivo ele aparecia. Olhar esse, que me remetia à reprovação na infância quando fazia coisas que minha mãe não permitia como comer com as mãos, ou subir na escada sozinha, brigar com minha irmã. Estava ali, entalhado no meu ser, me remetia a mudança de comportamento e me rasgava por dentro.

Toda essa sensação de inadequação reverberou na minha vida de diversas maneiras, infelizmente nenhuma positiva, até que há alguns meses comecei a perceber que esse comportamento externo repetitivo durante o decorrer da minha vida, tinha uma ligação inerente ao meu corpo gordo.

Mas, muito mais que com meu corpo gordo, era como meu comportamento não estivesse adequado a esse corpo maior, dessa reflexão, numa conversa com uma amiga, dessas que são fada, madrinha e palhaça tudo ao mesmo tempo agora, minha “falhaça”, acabou saindo de dentro de nós a expressão: Como pode?

Sim, como pode essa gorda não querer fazer regime? Como pode essa gorda ser casada? Como pode essa gorda fazer doutorado? Como pode essa gorda estar feliz? Como pode essa gorda fazer teatro? Como pode essa gorda se autodeclarar gorda e isso não mostrar nenhum sofrimento? Como pode essa gorda falar de alimentação saudável? Como pode essa gorda querer usar biquíni?  Como pode essa gorda não ser zoada por seus alunos? Como pode essa gorda falar com o motorista do ônibus que ela não cabe na catraca e rir disso? Como pode?

]Essa expressão me empoderou de tal maneira que hoje, quando alguém me olha com aquele olhar de reprovação, e que há um tempo atrás acabava comigo e sentia culpa, por algo que nem sabia muito bem o que era, ficava mal e me sentia muito inadequada, o patinho feio e gordo da parada, hoje automaticamente me vem à mente:

Como pode? Sim, eu leio os pensamentos alheios e dou muita risada deles, porque eu consegui reverter um sentimento horrível em algo criativo e engraçado. Dessa maneira, tenho me sentido muito mais engraçada e minha construção de aceitação achou uma maneira de reverter uma situação de toda uma vida em algo prazeroso. Muitas das vezes já fico na espera: lá vem, O como pode?

Poder transformar aquilo que te faz mal em algo criativo vem ao encontro de um trabalho do feminismo de aceitação e entendimento do próprio corpo de muitas maneiras e buscas. Entender que as pessoas que te reprovam e não te aceitam, são as pessoas que precisam de ajuda, pois se incomodam com algo que não sabem muito bem porque, ser gorda e não se suicidar nesse mundo é o maior ato de resistência que eu venho experimentando.

Como pode?

Mulher gorda pode.

Texto escrito por: Maria Luisa Jimenez Jimenez.

Publicado: NÃO ME KAHLO, 2018.

Fotografia: @juqueirozfotografia

Publicado por LUTE COMO UMA GORDA

O Projeto Lute como uma Gorda, surgiu com a necessidade de levar para fora da academia a discussão sobre GORDOFOBIA e os Corpos Gordos femininos, essa ideia é uma extensão-ação, anexa ao espaço virtual (Istagram/Facebook), etapa importante das investigações de doutoramento da idealizadora do projeto. A questão de discussão central, de todas as ações deste projeto estará na provocação da reflexão sobre a estigmatização do corpo gordo feminino em sociedade e suas consequências. Como forma de chamamentos e provocações, para as questões da Gordofobia em nossa sociedade, desenvolvemos rodas de conversas, Workshops e Minicursos Temáticos; Assessoria para profissionais de diversas áreas, Distribuição de Cartilhas Informativas, Artigos, Redes Sociais, etc.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: